Origem e Conceito

O precursor dos jogos de empresas foi o Top Management Decision Game, desenvolvido pela American Management Association nos Estados Unidos em 1956.

Em meio acadêmico a simulação gerencial foi introduzida em 1957. No ano de 1994 já existiam cerca de 200 simuladores sendo utilizados por 900 professores em mais de 1700 faculdades dos Estados Unidos. A simulação gerencial chegou ao Brasil na década de 1970, mas esteve restrita até metade da década de 1990 a poucas instituições. Posteriormente houve uma intensificação do uso, principalmente depois que o Ministério da Educação (MEC) sugeriu a introdução de metodologias alternativas ao ensino-aprendizagem nos cursos de nível superior.

Ao contrário do método tradicional de ensino-aprendizagem, os simuladores gerenciais também chamados Jogos de Empresas, são um importante instrumento de treinamento e desenvolvimento de habilidades gerenciais em todo o mundo, pois permitem uma aprendizagem vivencial através de duas abordagens das dimensões do ser humano, a afetiva e a cognitiva, tratando-o como um ser pleno, racional e também emocional.

A partir da análise de informações sobre o mercado simulado, os participantes tomam uma série de decisões operacionais e estratégicas, competindo entre si com o objetivo de gerir adequadamente uma empresa no seu todo.

Elementos da simulação

  • Professor | Coordenador | Condutor

    É o responsável por realizar as configurações do cenário e conduzir as simulações. Desempenha em grande parte o papel de consultor das empresas simuladas.

  • Participantes | alunos

    São eles que assumem o papel de gestores das empresas simuladas, tendo que tomar uma série de decisões que impactam nos resultados, transformando assim, essa experiência em conhecimento, habilidade e competência superior para se destacar no mercado.

  • Simulador

    É a ferramenta que possibilita a aprendizagem prática. É composto por dados, informações e decisões que após processados geram resultados, relatórios e gráficos de gestão.

Dinâmica

Nosso simulador abrange as principais áreas funcionais de uma organização e as decisões tomadas por uma empresa simulada influenciam nos resultados das demais.

Na simulação, os participantes são divididos em equipes de até 6 participantes (sugestão), onde cada um poderá assumir uma função específica na gestão da empresa, tal como analisar as informações e tomar decisões dos departamentos de Produção, Gestão de Pessoas, Marketing, Diretoria, Finanças e Planejamento.

As decisões são periódicas, sendo que cada período simulado equivale a 3 meses de gestão, e são tomadas com base em relatórios de gestão e em informações contidas no departamento de Planejamento. Após tomadas, as decisões são processadas pelo simulador, gerando novas informações e relatórios. As equipes analisam as informações e partem para um novo ciclo de tomada de decisão e aprendizagem.

A emoção e a criatividade, juntamente com o espírito de gestão e empreendedorismo já podem ser percebidos na primeira rodada da simulação, onde as equipes diante de um orçamento previamente estabelecido, devem escolher um nome para suas empresas, uma sigla que irá representá-las e escolher dentre 3 (três) opções de fábricas, qual a que melhor se encaixará naquele cenário.

As tomadas de decisões para a 1ª rodada devem levar em consideração apenas as informações divulgadas no departamento de Planejamento da empresa. Já nas próximas rodadas as empresas poderão contar com um Instituto de Pesquisas Empresariais e com uma Consultoria Automatizada, além do departamento de Planejamento.

 A simulação permite que os participantes enxerguem as consequências de suas decisões, sem correr riscos reais.

Assimilam seus erros facilmente, evitando que ocorram novamente em uma situação real.

Possibilita um entendimento sobre a integração que existe entre as diversas áreas funcionais de uma organização.

Gera experiência no processo de tomada de decisão, avaliação de resultados e análise de desempenho.

Desenvolvimento de habilidades interpessoais, além de interpretação de informações, relatórios econômicos, financeiros e de mercado.

O aprendizado se torna dinâmico e motivante, pois todos os participantes se tornam agentes ativos desse processo.

Representação de diversos anos da gestão de uma empresa em questão de horas, possibilitando a visão de longo prazo e o planejamento estratégico.

Estímulo pela busca de informações, solução de problemas, senso de urgência, comprometimento, independência e auto confiança.

Desenvolvimento dos aspectos comportamentais, tais como o trabalho em equipe e estilos de liderança.

Utilização de uma ferramenta quantitativa e com tecnologia de ponta para a aprendizagem gerencial.

Agora que você já conheceu a metodologia e os benefícios de sua utilização, venha conhecer nosso simulador.